Crise na Grécia e como isso afeta os turistas ou não!!!!

Aqui na Grécia o clima não é dos mais amenos, mas também não estamos à beira de um colapso.. quer dizer.. essa indefinição mexe com todos os gregos, com as pessoas que escolheram viver aqui, e nessa eu me incluo. Tenho uma família grega que trabalha com o turismo. A Grécia vive de turismo, está com um débito gigantesco e pode ou não dar o calote no FMI, pode ou não sair da zona do euro e voltar aos dracmas, a antiga moeda que segundo a mitologia grega era um meio de oferenda à Íris, a deusa do arco-íris que proporcionava depois da oferenda, a mensagem através da névoa.

Depois que houve a mudança pro euro em 2002, a Grécia se viu ano a ano em uma sucessão de contas não pagas, diminuição do salário e dos benefícios, muita corrupção e uma dívida de 271 bilhões. Domingo é o dia que o povo vai às urnas para votar se querem continuar na zona do euro ou sair. Tem muita gente achando que é melhor continuar como está e ver o que acontece, enquanto muitos querem sim um novo recomeço. Cada hora se fala uma coisa, e a verdade é que só dentro de alguns dias é que saberemos o que vai acontecer de verdade.

Mas hoje o post é dedicado aos turistas que estão vindo pra cá, os que já estão e como isso afeta ou não a sua viagem. O bancos gregos delimitaram o saque de 60 euros ao dia para os gregos, mas não para os turistas. Quem tem conta em bancos internacionais, cartões de débito para saque e cartão de crédito não enfrentam maiores problemas. O que as pessoas estão assustadas é de estarem em meios as férias, em um dos destinos mais procurados e visitados do mundo, e depois ficarem sem dinheiro para continuarem a trip.

Podem ficar tranquilos, quem já comprou a passagem, reservou hotel, hostel, passeios de barco não precisa cancelar nada.

Mas, vale algumas dicas: leve dinheiro em euro, e principalmente trocado, não notas muito grandes, o ideal são as notas de 10, 20 e 50 euros, além disso os cartões de créditos estão sendo aceitos em todos os lugares sem problemas.

Manifestações acontecem em Atenas, mas as ilhas estão fervendo, o verão está pulsando e sim, a Grécia vai sobreviver e vai fazer história como sempre foi, desde os tempos da antiguidade. Eu moro aqui, sou feliz aqui, e com crise, sem crise, mudança de moeda ou não, vamos lutar e continuar vivendo nesse paraíso abençoado por tantos deuses.

As delícias da culinária grega

Como falar na Grécia, viver aqui e não compartilhar os sabores de sua rica culinária? Impossível né? Boa de garfo que sou, hoje o post é sobre uma das melhores coisas que podemos fazer na vida: comer.

A culinária grega contemporânea é tipicamente mediterrânea, e utiliza extensivamente o azeite, grãos, pão, vinho, peixes, queijo, e diversos tipos de carnes.

Desde a primeira vez que aterrissei por aqui, uma das primeiras coisas que quis provar, foi o iogurte grego. Mas, não pensem que aquele “Grego” que temos no Brasil chega aos pés dos que encontramos por aqui. O verdadeiro iogurte grego é além de delicioso, firme em sua consistência e você pode comer ele sem nada, ou com mel, frutas. Aqui o iogurte é muito consumido, e de diversas maneiras. Coloca-se até no arroz, para fazer tzatziki, que é um molho a base de pepino, alho e claro, iogurte. É muito bom, você saboreia com carne e até mesmo com pita pão.

Uma curiosidade é que ele é feito com leite de ovelha, e acho que deve ser por isso que sua base é firme e seu gosto, hummm…

iogurte-grego-fatos

site_21_rand_252622387_r_tzatziki

Uma das melhores carnes por aqui é o cordeiro. As costelas temperadadas com muito azeite e limão siciliano
são de lamber os beiços. Quando se vive em ilha, os animais são criados soltos, e tanto o carneiro, quanto à cabra e o porco recebem um tratamento especial antes de irem para o forno. Você sente a diferença de comer uma carne orgânica.

img_como_fazer_costelas_de_cordeiro_no_forno_12565_orig

E os frutos do mar, frescos todos os dias, principalmente no verão. Se você não é muito da carne vermelha, precisa experimentar a lula, o polvo, o camarão e os peixes da estação. Toda boa alimentação precisa ter uma fonte boa de proteína. Eu sou mais do mar, então para mim aqui é o paraíso.

polvo-grelhado1

Tudo aqui tem que ter azeite, não é a toda que um dos melhores ingredientes do mundo, e um dos mais utilizados vem daqui. Ao invés das tradicionais árvores, são oliveiras por todos os lados. Desde os tempos mais remotos, as oliveiras são cultivadas na Grécia. Para os antigos gregos a oliveira representava, entre outras coisas, paz devido à sua tranquilidade. Era tão valorizada, que aos vencedores dos antigos Jogos Olímpicos, era dada uma coroa feita de ramos de oliveira brava.

Nos dias de hoje, a oliveira é a cultura mais intensiva de toda a Grécia, produzindo-se anualmente 400 000 toneladas de azeite e, constituindo desse modo, o terceiro maior produto em todo o mundo. Ao longo do tempo, as técnicas de cultivo e de produção de azeite, mantiveram-se quase inalteradas: 75% da produção de azeite é de excelente qualidade, podendo ser consumido sem qualquer tratamento. O azeite virgem grego, é por isso, um produto natural, com um sabor autêntico, um agradável aroma e com muitas propriedades nutricionais.
Pesquisas actuais demonstram que o azeite é benéfico para a saúde, sendo facilmente absorvido pelo organismo e o seu consumo contínuo, previne doenças de coração e problemas de estômago.

AZEITE-DE-OLIVA-2

Azeite-de-oliva-Lubrificante-e-afrodisíaco

Outro ingrediente que a maioria das pessoas ama e que aqui também ter um sabor especial é a batata. Sim, esse carboidrato que combina com qualquer prato. Principalmente, aqui em Milos as batatas são deliciosas. Elas têm uma textura de crocância e não são amarelas, são mais branquinhas, mais naturais. Os gregos são bons de garfo e colocam a batata em tudo.

E como não falar dos queijos. Uma grande variedade de queijos também é utilizada na culinária da Grécia; alguns dos tipos são feta, kasseri, kefalotyri, graviera, athotyros, manouri, metsovone e mizithra.

feta

feta

graviera

graviera

Aqui também muito consumido é o mel. São muitos os apiários e muitas pessoas cultivam o meu. Um mel orgânico, puro que você come com tudo. Eles são provenientes de muitas ilhas, principalmente de Milos e Kímolos.

blog-honey (1)

O tomate, ingrediente que faz parte da alimentação grega, é consumido quase todos os dias, basicamente com a famosa salada grega, que leva pepino, cebola roxa, azeitona, pimentão vermelho, pimentão verde, queijo feta e muito azeite. Os tomatinhos têm um gosto doce.

img_8890

Em restaurantes e nas refeições em família, os pratos mais tradicionais são o pastitsio, que é um macarrão com carne, que é levado ao forno, com muitas camadas de molho bechamel e é simplesmente incrível.

term370_pastitsio

Moussaca: é a versão da lasanha grega, que leva beringela, batata e carne moída.

BT0906H_moussaka_s4x3

Mas, culinária grega também tem fast food, e o mais famoso é o souvlaki, um sanduíche no pão pita, com carne de porco, frango ou bife, batata frita, tomate, cebola roxa e claro, o molho tzatziki.

20120416-Pork-Souvlaki-Pita

E em padarias e em qualquer estabelecimento você encontra as deliciosas massas folhadas e caseiras, para comer no café da manhã ou à qualquer hora do dia: tiropita, feita com camadas de manteiga e queijo, spanakopita que leva espinafre.

Tiropita

Tiropita

E claro, não poderia faltar a sobremesa. Formiga que sou e louca por doces, os tradicionais são: Baklava que leva nozes, amêndoas, noz moscada e canela, o kataífi, uma massa crocante com amêndoas e nozes. Não indicado para quem está de dieta.

url

E ai deu água na boca? No próximo post vou falar das bebidas, afinal os gregos são bons de garfo, mas também bons de goró.

Continuação – Por que a Grécia?

Era a primeira vez que conhecia um grego, tinha olhos verdes, loiro e pelo clara, podia ser alemão ou inglês, mas não era. Começamos a conversar em inglês, um bate papo gostoso e uma boa sintonia. Risadas, música, paisagem e uma nova conexão na Chapada Diamantina.

Ficamos no chat por muitas horas, já havia amanhecido e como estávamos de férias, sem relógio, as horas são iguais, você sabe a hora que clareia, o pôr do sol, a brisa fresca, ou seja, o que importa!

Voltamos para o centro de Lençóis caminhando, envoltos de risadas e boas energias. Ele me olhava profundamente, eu levava na boa, estava tão tranquila e fazendo amizade.

A barriga avisava que era hora de comer. Que tal um café da manhã?

Entre café preto e pão na chapa, mais conversê.

Depois, fomos caminhando até meu destino final. Marcamos de nos ver no mesmo dia, sem celular, sem número, nem onde ele estava hospedado eu sabia. 17h em frente ao banco…

Por que a Grécia?

Logo que comecei o blog, há cerca de um mês deixei um título aqui: “Por que a Grécia?” – pode ter ficado vago por um tempo, mas não se perdeu; hoje eu conto um pouco mais dessa história.

Como jornalista e trabalhando com comunicação, seja internet ou televisão, sempre tive a oportunidade de viajar. Viajar à trabalho ou à lazer, aquelas “trips” mais longas e às viagens aos finais de semana. Cada lugar novo que visito, guardo uma recordação boa. Pelo Brasil já rodei diversas regiões, passando pelos pampas, pelo semi-árido e árido do sertão, às dunas do Jalapão e o calor do norte.

O Brasil é um mix de culturas, de sabores, de cores, e temos belezas únicas de vegetação, flores, plantas e visuais. Tenho as minhas regiões preferidas, como a Bahia, o paraíso da Chapada Diamantina, Moreré, a calma e a tranquilidade das montanhas do interior, o agito de São Paulo e as cores de Maceió. Falar do país onde nasci é falar bem. Falar bem das coisas lindas, de toda a minha vida, da minha família, dos amigos, da oportunidade de trabalhos incríveis e ainda mais por conhecer tantas novas histórias. Me sinto privilegiada.

Trabalhando há cerca de 2 anos mais com internet, com o site de cultura urbana, Mistura Urbana, não tenho uma rotina externa, de chegar no horário marcado e de trabalhar aos finais de semana. Da vida virtual, das muitas horas no computador, seja pesquisando, entrevistando, escrevendo ou atualizando as redes, há liberdade de movimento. Posso viajar aos finais de semana e também no meio da semana, se tiver conectada posso estar em qualquer lugar.

Pratigi - Bahia

Pratigi – Bahia

Moreré - Bahia

Moreré – Bahia

No ano passado, no verão baiano em janeiro, como de costume, passei às minhas férias na Chapada Diamantina. Um paraíso brazuca, cercado de natureza exuberante, cachoeiras, montanhas, rios, trilhas e muitas cores; seja de suas flores, dos seus pássaros, da sua gastronomia. A Bahia é encantadora e sempre me traz coisas boas.

Nessa temporada com os amigos, entre uma festa e outra, dias de sossego total e de sombra e água fresca, você está em contato com pessoas, e não só brasileiros, mas gente do mundo todo. A Bahia é muito internacional, e mais ainda a Chapada Diamantina. Entre festivais de música ou eventos ao ar livre na praça da pequena e linda Lençóis um mix de idiomas, de sons, de cheiros.

Chapada Diamantina - Bahia

Chapada Diamantina – Bahia

Em um dia desses de calor, logo pela manhã eu conheci um grego. Grego esse, cujos olhos eu já conhecia, mas não de um passado distante, de alguns dias atrás, talvez em algum outro local que tivéssemos nos cruzado. Sou boa de fisionomia.

Seus olhos verdes brilhavam e um bate-papo começou…era a primeira vez que eu conhecia um grego.

Fim de semana abençoado!!!

Hoje é sábado, o dia está lindo e gostoso: 25 graus. Brisa fresca, mar azul turquesa com suas piscinas naturais, o aroma das flores, e o verão que vem chegando para dar a sua luz. Os turistas por sua vez também estão chegando, e a ilha está bombando a cada dia.

Me sinto muito abençoada de morar aqui. Aprender o idioma, enfrentar novos desafios, viver novas culturas e sempre estar aberta de coração para viver esse sonho azul. Viver na natureza é minha terapia, ouvir os pássaros cantando, as crianças sorrindo, é um impulso para cada dia ser melhor, mais positivo.

Em breve meu irmão está chegando e passaremos dias incríveis 🙂

Hoje é sábado, dia de aproveitar o dia! Espero que o seu sábado seja delicioso!

Fim de semana em Kimolos :)

O fim de semana foi em Kimolos, uma ilha bem próxima à Milos, cerca de 20 minutos de distância e com uma população de 500 pessoas. Praias ainda selvagens, forte cultura local e um sossego e uma calmaria de agradecer.

Para chegar até Kimolos, você pega o ferryboat de Apollonia, cerca de 10 minutos de Plaka em Milos, paga uma taxa de 3 euros, curte o visual deslumbrante e pronto: já pode desbravar outro paraíso!!

Colurful Life

11166091_995424743802115_240273977_n

Ter a oportunidade de morar perto do mar tem me feito tão bem. Acordo e a primeira coisa que meus olhos avistam é a imensidão do mar em diversos tons de azul.

Sentir o sol perto do mar é se sentir mais viva! Você já acorda vivendo, a natureza nos permite esse presente, essa dádiva, que pra mim acaba sendo terapêutico também.

Como ter mau humor em um lugar assim, e entre um trabalho e outro poder mergulhar nas piscinas azuis turquesas de águas calmas.

Nadar, sentir todo o corpo, testar os limites, ouvir o cantar dos pássaros, o vento chegando junto com o calor e as pedras de tamanhos diversos em direção ao mar.

O vai e vem de pouca gente, alguns cachorros uivantes e famintos, o sorriso fácil, a Yoga ou a tentativa de, o abraço acalorado, e o gosto da banana como no Brasil.

Entre as palavras e as vivências vou formando mais esse universo .