Rolês fora do “circuito turístico chacota” pra se fazer em Atenas

Estou vivendo na Grécia há algum tempo, e posso dizer que esse país me encanta a cada dia. São praias de um azul turquesa de sonho, como as que estão na ilha de Milos, localizada no arquipélago das Cíclades, no Mar Egeu, já falei da ilha de Afrodite, relembre aqui; seja a paisagem exuberante do norte, como em Meteora, aqui, e claro, há muito ainda do que se descobrir.

O país vive em crise econômica há muitos anos é verdade, e também já foi classificada como a 39ª cidade mais rica do mundo por paridade do poder de compra, mas nem por esse antagonismo, perde sua beleza e seu charme. A Grécia é um lugar especial, e a cada dia mergulho mais nessa cultura ancestral cheia de história. E claro, como não falar da maior cidade da Grécia: Atenas – a capital e uma das cidades mais antigas do mundo, com o território habitado há 3400 anos.

Atenas (em grego: Αθήνα) é hoje uma metrópole cosmopolita, com quase 4 milhões de habitantes e que recebe turistas do mundo todo, encantados com tanta riqueza histórica. A principal cidade-estado na Grécia antiga, principal centro cultural das civilizações do ocidente, traz em suas terras, alguns dos maiores nomes do mundo que viveram nesta região: escritores, pensadores e escultores, entre eles estão os autores de peças de teatro Ésquilo, Sófocles, Euripedes e Aristófanes e também os grandes filósofos Platão e Sócrates. A cidade foi sede dos primeiros jogos olímpicos do mundo moderno – pois os jogos olímpicos foram criados em 776 a.C. na cidade de Olímpia, da onde provem o seu nome.

Atenas possui uma vasta variedade cultural, a curiosa mitologia, a imponente arquitetura, uma culinária deliciosa, e um povo muito simpático, que fala alto, e é feliz.

No verão o pôr do sol é às 21h da noite e o comércio, assim como na Espanha também funciona com o rodízio da “siesta”, aquele famoso relax depois do almoço sabe? Depois tudo volta ao normal e se estende até a noite.

Antes das dicas de rolê, uma muito importante. Para se deslocar, utilize o transporte público, uma ótima opção é o metrô, que funciona bem.

Bom, como me sinto cada dia mais familiarizada coma essa cultura milenar, deixo algumas dicas de rolês bacanas para você conhecer um pouco de toda essa história, mas com diversão e aproveitando cada minuto nessa cidade incrível.

1. Acrópole

É impossível ir para Atenas e não conhecer a Acrópole – um lugar de muito significado, com uma colina rochosa que abriga algumas das estruturas mais antigas do mundo, como o Partenon – um dos principais templos do complexo, construído entre os anos de 447 e 438 A.C. e que está dedicado à deusa grega Atena, a protetora dos atenienses e o Erecteion – considerado o espaço mais sagrado da Acrópole, onde foi realizado o culto de várias divindades. O local, cujo nome homenageia Erecteu, rei mítico e herói de Atenas, começou a ser erguido durante a guerra do Peloponeso, em 421 a.C., e só terminou 15 anos mais tarde O bacana dela é que você a vê em diferentes pontos da cidade, e quando a anoitece suas luzes a deixa ainda mais mística. O horário ideal para subir nela é logo cedo ou lá para o final da tarde.

The_Acropolis_Hill-600x347

Jardins da Acrópole

Além da Acrópole, algo bem legal de se fazer é caminhar entre o seu jardins, você não paga nada, passeia, curte o visual. Ideal para quem não quer pagar 15 euros ou encarar o calor para subir até ela.

10423842_10152219197002026_542466716472603658_n-600x600

2- Cine Paris, Atenas

O Cine Paris fica aos pés da Acrópole e é um cinema permanente ao ar livre. Só a vista já valeria. Mas também seduz pelo charme vintage. Abre de maio a outubro e custa € 8. A história desse cinema é bastante interessante, uma vez que ele construído no início nos anos 20 e foi o primeiro cinema open air, criado por um cabeleireiro grego que morava em Paris. Na programação diversos filmes com legenda e um visual uau de tirar o fôlego. Mais dele aqui.

Cine-Paris-Athens-008-600x360-1

3- Rolê pelo bairro Exárchia

Em grego Εξάρχεια – é um bairro central da cidade, que está localizado próximo ao edifício histórico da Universidade Politécnica Nacional de Atenas. A região é famosa por ser ponto de encontro de militantes de esquerda, e reduto do Anarquismo. Vale a pena o passeio para ver as mais variadas formas de expressão de rua e sentir um pouco a atmosfera política e anti política.

exarchia-square-24-sep-1024x768-600x450

4- To Treno Tou Rouf

É um local que definitivamente você precisa conhecer. Ele é um trem, que possui espaços diferentes. São diversos vagões de trem, e em cada um há uma atração diferente. Na programação variada: shows de jazz, um pequeno teatro onde acontecem as apresentações, além de palestras, e ainda há um mecanismo de movimento que permite que você se sinta realmente viajando pelos trilhos. O espaço Vagão Bar é ideal para tomar um drink, conhecer os artistas que fazem performance e até fazer uma festa. Há ainda um restaurante, um bar open air, um espaço cultural. Um passeio diferente que com certeza será muito divertido. Mais informações aqui.

001-600x313

613182-290-11-613182-600x306

rooph-600x450

5- Rolê de graffiti

É claro que um rolê para mergulhar na arte urbana não ia faltar. Podemos dizer que graffiti é tão antigo em Atenas quanto à própria cidade. Há por todos os lados arte de rua, seja ela um pixo, murais de artistas conhecidos, pequenos desenhos, grandes muros. Você vai notar um grande número deles. Uma curiosidade é que a palavra “graphi” vem do grego e significa escrever. Em Atenas, o que começou com um graffiti político e que servia à um propósito de liberdade de expressão e contestação, hoje em dia, além de ser uma galeria à céu aberto, me dá a impressão de que algumas assinaturas espalhas pela cidade parecem mais um grito de socorro.

Os melhores lugares para admirá-los são na Rua Ermou, no bairro de Gazi, mas também em outras áreas populares como os bairros de Plaka, Psiri e Exargia. Ah, e os trens também são riscados e você pode perceber assim que entra no metrô da estação Pireu.

Para saber mais, um guia de graffiti aqui.

10360898_10152219200572026_7631286385006631440_n-600x450

IMG_7944-600x600

Street-Art-by-STMTS-in-Athens-Greece-600x790

6- Gazi – um bairro bem animado

Esse antigo bairro industrial sofreu drásticas transformações ao longo da última década. Os gasodutos viraram um espaço para exposições, como é o caso da antiga fábrica de gás, que se transformou no centro cultural Technopolis, que recebe eventos multimídia, shows e festivais de todos os estilos. e a região foi tomada pelos bares, restaurantes, galerias de arte e casas de show, que merecem a visita tanto de dia, quanto de noite.

Este bairro para quem se divertir é uma da melhores áreas com diversas opções de entretenimento sejam os bares mais descolados, os espaços artísticos, clubes com museus, teatros, além dos templos clássicos e arqueológicos que se misturam. É um labirinto de ruas para se perder, se achar e se divertir principalmente. O lugar começa a ficar animado a partir das 11 da noite. A maior parte dos bares abrem até as 3 da manhã, e as discotecas até as 5 da manhã ou mais tarde. Atenas tem uma vida noturna bastante agitada, sente-se em um dos lugares, e peça drinks locais como o raki, o rakomelo ou ouzo.

slider3-600x375

7- Six D.O.G.S.

Esse “centro de entretenimento” localizado no bairro de Monastiraki tem de tudo um pouco. Há um bar, um restaurante, uma área verde e um espaço para apresentações musicais e teatrais. Em vários dias, ainda é possível encontrar um mercado de moda e antiguidades no local. Mais informações aqui.

Six-Dogs-Street-Night-01-600x424

8- Souvlaki

O mais famoso fast food da Grécia, leva pão pita, tomate, cebola roxa, batata frita, uma opção de carne bovina, suína ou frango, e ainda o molho mais tradicional grego, feito à base de pepino, iogurte e alho, que é o tzatziki. Você encontra por todos os locais, e além de ser bem gostoso e bem servido, é barato, custando entre 1 e 2 euros.

20120416-Pork-Souvlaki-Pita-600x368

9- Thanasis – Culinária Grega

Outra dica para você apreciar o seu souvlaki ou ainda gyros no prato, é o restaurante Thanasis. Ele fica bem na área central, perto de Monastiraki, possui um ambiente simples, tradicional, com cerveja gelada e comidinhas deliciosas.

669ed80e83268de35e840997_original-600x600

20090711-kebab6-600x400

food_memories_greece184-600x400

10- Theatro Empros

Um teatro bem antigo localizado no bairro de Psiri, que é uma área cultural e social não comercial. Um local histórico, marcado por parte da luta política, que defende a liberdade de expressão social, e auto-gestão e produção cultural fora das normas do mercado mainstream. Lá, são realizadas apresentações, shows e muitas festas com entrada “free”, dos mais variados estilos, com performances e muito mais. Vale a pena para se familiarizar com os atenienses e tomar uma cerveja. Mais informações aqui.

IMG_7226-600x450-1

lifo_ebros-2-600x398

11- Psiri

É um bairro central de Atenas, muito movimentado, cheio de bares, restaurantes, clubes, um bairro que não dorme. No verão, todo mundo fica na rua, seja nas cadeiras em áreas externas, em pé ou em rodas de amigos. É um local autenticamente grego, com boa comida e muitas opções de diversão. Você realmente sente a vida pulsante e todo o agito dos gregos, que são bastante animados e gostam de festar e de beber. Não se preocupe com horários, tudo funciona até tarde.

psiri02-600x450

12- Plaka

Um bairo gostoso para passear, rodeado de árvores, lotado de restaurantes e ruas estreitas. Um bairro charmoso com construções que datam do século 2º a.C. Durante a noite, tem uma vista incrível da Acrópole iluminada.

plaka1-600x417

13- Pôr do sol

Claro que não poderia faltar nessas dicas, um local para se apreciar o pôr do sol. O ponto mais alto da cidade é o Montes Lykavittos, com cerca de 277 metros de altura. De lá você tem uma vista surpreendente das colinas, da Acrópole, e o mar ao fundo. Para se chegar, pegue um funicular e depois prepare as pernocas para uma grande escadaria. Uma vez lá em cima, pausa para uma água, um café ou um drink, e até mesmo um corte de cabelo de graça. Sim, há um serviço de cabelereiro completamente gratuito e rápido.

sunset-over-athens-600x399

Καλό Ταξίδι!
(lê-se “kalô taksídi” e significa boa viagem em grego)

As delícias da culinária grega

Como falar na Grécia, viver aqui e não compartilhar os sabores de sua rica culinária? Impossível né? Boa de garfo que sou, hoje o post é sobre uma das melhores coisas que podemos fazer na vida: comer.

A culinária grega contemporânea é tipicamente mediterrânea, e utiliza extensivamente o azeite, grãos, pão, vinho, peixes, queijo, e diversos tipos de carnes.

Desde a primeira vez que aterrissei por aqui, uma das primeiras coisas que quis provar, foi o iogurte grego. Mas, não pensem que aquele “Grego” que temos no Brasil chega aos pés dos que encontramos por aqui. O verdadeiro iogurte grego é além de delicioso, firme em sua consistência e você pode comer ele sem nada, ou com mel, frutas. Aqui o iogurte é muito consumido, e de diversas maneiras. Coloca-se até no arroz, para fazer tzatziki, que é um molho a base de pepino, alho e claro, iogurte. É muito bom, você saboreia com carne e até mesmo com pita pão.

Uma curiosidade é que ele é feito com leite de ovelha, e acho que deve ser por isso que sua base é firme e seu gosto, hummm…

iogurte-grego-fatos

site_21_rand_252622387_r_tzatziki

Uma das melhores carnes por aqui é o cordeiro. As costelas temperadadas com muito azeite e limão siciliano
são de lamber os beiços. Quando se vive em ilha, os animais são criados soltos, e tanto o carneiro, quanto à cabra e o porco recebem um tratamento especial antes de irem para o forno. Você sente a diferença de comer uma carne orgânica.

img_como_fazer_costelas_de_cordeiro_no_forno_12565_orig

E os frutos do mar, frescos todos os dias, principalmente no verão. Se você não é muito da carne vermelha, precisa experimentar a lula, o polvo, o camarão e os peixes da estação. Toda boa alimentação precisa ter uma fonte boa de proteína. Eu sou mais do mar, então para mim aqui é o paraíso.

polvo-grelhado1

Tudo aqui tem que ter azeite, não é a toda que um dos melhores ingredientes do mundo, e um dos mais utilizados vem daqui. Ao invés das tradicionais árvores, são oliveiras por todos os lados. Desde os tempos mais remotos, as oliveiras são cultivadas na Grécia. Para os antigos gregos a oliveira representava, entre outras coisas, paz devido à sua tranquilidade. Era tão valorizada, que aos vencedores dos antigos Jogos Olímpicos, era dada uma coroa feita de ramos de oliveira brava.

Nos dias de hoje, a oliveira é a cultura mais intensiva de toda a Grécia, produzindo-se anualmente 400 000 toneladas de azeite e, constituindo desse modo, o terceiro maior produto em todo o mundo. Ao longo do tempo, as técnicas de cultivo e de produção de azeite, mantiveram-se quase inalteradas: 75% da produção de azeite é de excelente qualidade, podendo ser consumido sem qualquer tratamento. O azeite virgem grego, é por isso, um produto natural, com um sabor autêntico, um agradável aroma e com muitas propriedades nutricionais.
Pesquisas actuais demonstram que o azeite é benéfico para a saúde, sendo facilmente absorvido pelo organismo e o seu consumo contínuo, previne doenças de coração e problemas de estômago.

AZEITE-DE-OLIVA-2

Azeite-de-oliva-Lubrificante-e-afrodisíaco

Outro ingrediente que a maioria das pessoas ama e que aqui também ter um sabor especial é a batata. Sim, esse carboidrato que combina com qualquer prato. Principalmente, aqui em Milos as batatas são deliciosas. Elas têm uma textura de crocância e não são amarelas, são mais branquinhas, mais naturais. Os gregos são bons de garfo e colocam a batata em tudo.

E como não falar dos queijos. Uma grande variedade de queijos também é utilizada na culinária da Grécia; alguns dos tipos são feta, kasseri, kefalotyri, graviera, athotyros, manouri, metsovone e mizithra.

feta

feta

graviera

graviera

Aqui também muito consumido é o mel. São muitos os apiários e muitas pessoas cultivam o meu. Um mel orgânico, puro que você come com tudo. Eles são provenientes de muitas ilhas, principalmente de Milos e Kímolos.

blog-honey (1)

O tomate, ingrediente que faz parte da alimentação grega, é consumido quase todos os dias, basicamente com a famosa salada grega, que leva pepino, cebola roxa, azeitona, pimentão vermelho, pimentão verde, queijo feta e muito azeite. Os tomatinhos têm um gosto doce.

img_8890

Em restaurantes e nas refeições em família, os pratos mais tradicionais são o pastitsio, que é um macarrão com carne, que é levado ao forno, com muitas camadas de molho bechamel e é simplesmente incrível.

term370_pastitsio

Moussaca: é a versão da lasanha grega, que leva beringela, batata e carne moída.

BT0906H_moussaka_s4x3

Mas, culinária grega também tem fast food, e o mais famoso é o souvlaki, um sanduíche no pão pita, com carne de porco, frango ou bife, batata frita, tomate, cebola roxa e claro, o molho tzatziki.

20120416-Pork-Souvlaki-Pita

E em padarias e em qualquer estabelecimento você encontra as deliciosas massas folhadas e caseiras, para comer no café da manhã ou à qualquer hora do dia: tiropita, feita com camadas de manteiga e queijo, spanakopita que leva espinafre.

Tiropita

Tiropita

E claro, não poderia faltar a sobremesa. Formiga que sou e louca por doces, os tradicionais são: Baklava que leva nozes, amêndoas, noz moscada e canela, o kataífi, uma massa crocante com amêndoas e nozes. Não indicado para quem está de dieta.

url

E ai deu água na boca? No próximo post vou falar das bebidas, afinal os gregos são bons de garfo, mas também bons de goró.

Das praias incríveis para as montanhas surreais – Meteora

Tive a oportunidade de visitar recentemente um lugar que podemos chamar de especial. Meteora,(em grego: Μετέωρα, “meio do céu”) fica localizada na Grécia central, cerca de 4 horas de Atenas. É lá que observamos os monastérios, no alto dos pilares, encoberto por nuvens. E a definição “meio do céu” é certa, parece que você está entre as nuvens realmente.

Meteora é um dos mais importantes complexos de monastérios do Cristiniano Oriental. Os mosteiros foram construídos sobre pilares de rocha de arenito, na região noroeste da Tessália, próximo ao rio Peneu e às montanhas Pindo. Há mosteiros localizados há 549 metros de altura em uma paisagem incrível.

Há pouco mais de seiscentos anos, um monge da península do Monte Athos fundou no noroeste da Tessália o primeiro mosteiro. O penhasco sobre o qual se alçou o retiro ortodoxo passou a ser conhecido por “meteoros”, que em grego significa “suspenso no ar”. Durante os séculos posteriores, foram edificados nesta região da Grécia mais de vinte mosteiros, dos quais cinco sobrevivem habitados.

A história conta que essas imensas rochas vieram com diversos terremotos na região, apoiadas pela junção de água e esculpidas pelo vento, há cerca de 25 milhões de anos, através de movimentos tectônicos. Os primeiros eremitas que chegaram nessa área vinham atrás de isolamento espiritual, se estabeleceram em cavernas no século XI. Assim, unidos pela fé religiosa, foram formando as primeiras comunidades monásticas. A fé foi movendo-os e as construções gigantescas de valor arquitetônico e artístico surgindo.

São 24 monastérios que se formaram entre os séculos 14 e 16. Os monastérios eram o centro Ortodoxo na Era Bizantina, que produziam algumas das melhores peças de arte religiosas, além de coleções de manuscritos, que hoje estão nos museus. Meteora é patrimônio tombado pela Unesco, e é tida oficialmente como uma zona protegida ambientalmente, pela sua riqueza de fauna e flora.

Os monges eremitas, procurando um refúgio seguro à ocupação otomana, encontraram nos rochedos inacessíveis de Meteora um refúgio ideal. Alguns mosteiros que podem ser visitados: Megálos Metéoros (Grande Meteoro ou Mosteiro da Transfiguração), Varlaam, Ágios Stéphanos (Santo Estêvão), Ágia Tríada (Santíssima Trindade), São Nicolau Anapausas e Roussanou.
O acesso aos mosteiros antigamente era feito por guindastes e apenas em 1920 foram construídas escadas de acesso. Até hoje podemos ver como eram utilizados os meios de subida e descida. Dos seis mosteiros, cinco são masculinos e um é feminino.

Caminhar entre os monastérios e admirar paisagens tão deslumbrantes, faz de Meteora um lugar único, desbravar os caminhos, envolto por montanhas é ter a certeza de estar mais perto do céu. Para se chegar aos mosteiros você pode ir de carro, e assim caminhar. A cidade mais próxima é Kalabaka que oferece toda estrutura aos turistas, como hotéis e restaurantes.

Para as mulheres que visitam os espaços, não é permitido a entrada com shorts curtos ou calças muito justas, mas não se preocupe, em cada entrada de monastério há saias longas à disposição para você colocar por cima de sua roupa. Uma vez na região, aproveite para conhecer os povoados que estão próximos como Kastrak.

Meteora é um desses lugares que te proporcionam paz, meditação e contemplação, e posso dizer, que estando há 7 meses na Grécia; que esse país me surpreende a cada dia com sua diversidade de beleza e de história.

Para saber mais e organizar sua viagem, aqui.

@todas as fotos são de arquivo pessoal

Continuação – Por que a Grécia?

Era a primeira vez que conhecia um grego, tinha olhos verdes, loiro e pelo clara, podia ser alemão ou inglês, mas não era. Começamos a conversar em inglês, um bate papo gostoso e uma boa sintonia. Risadas, música, paisagem e uma nova conexão na Chapada Diamantina.

Ficamos no chat por muitas horas, já havia amanhecido e como estávamos de férias, sem relógio, as horas são iguais, você sabe a hora que clareia, o pôr do sol, a brisa fresca, ou seja, o que importa!

Voltamos para o centro de Lençóis caminhando, envoltos de risadas e boas energias. Ele me olhava profundamente, eu levava na boa, estava tão tranquila e fazendo amizade.

A barriga avisava que era hora de comer. Que tal um café da manhã?

Entre café preto e pão na chapa, mais conversê.

Depois, fomos caminhando até meu destino final. Marcamos de nos ver no mesmo dia, sem celular, sem número, nem onde ele estava hospedado eu sabia. 17h em frente ao banco…